Como traduzir arquivos .ttx no memoQ

From TradWiki 2.0
Jump to navigation Jump to search

Quando um cliente envia um arquivo .ttx, espera que seja traduzido no TagEditor. Mas esses arquivos também podem ser traduzidos no memoQ.

Infelizmente, o método não dispensa o Workbench e o TagEditor nas fases de preparação e finalização.

1. Se o cliente enviou a memória no formato .tmw (formato nativo do Trados), abra-a no Trados Workbench (File > Open) e exporte no formato .tmx 1.4 (File > Export).

2. Pré-traduza os arquivos enviados pelo cliente. No Trados Workbench, selecione Tools > Translate > Add, selecione os arquivos que quer pré-traduzir, confirme se as opções correspondem às da figura abaixo e clique em Translate.

600px

Uma observação importante: se a caixa “Segment unknown sentences” não estiver marcada, o Trados não vai segmentar o arquivo inteiro. A opção precisa estar marcada para ocorrer a segmentação completa.

3. Adicione os arquivos pré-traduzidos normalmente no projeto do memoQ.

4. Se o cliente enviou a memória, você pode usar a opção Import from TMX/CSV, no módulo de recursos ou na aba Translation Memories, para incorporar a memória do cliente (que você transformou em .tmx no passo 1 acima) à memória do projeto.

5. Traduza o arquivo normalmente no memoQ.

6. Agora, veja se não esqueceu nenhuma tag. Se isso acontecer o arquivo pode não abrir corretamente no TagEditor ou dar problema na exportação final. No menu, selecione Operations > Resolve Erros and Warnings. Corrija o que precisar, confirmando cada segmento corrigido.

7. Exporte o arquivo. O resultado é um arquivo .ttx bilíngue, exatamente como se tivesse sido traduzido no TagEditor.

8. Por via das dúvidas, abra o arquivo no TagEditor para confirmar que não deu nenhum problema. É raro, mas pode acontecer.

Observação importante: para que o arquivo final seja bilíngue é indispensável a pré-tradução no Workbench (passo 2). Caso contrário, o resultado será um arquivo apenas em português (ou qualquer que seja sua língua-destino).



Artigo postado originalmente no blog Tradução via Val